Telefone(61)99643-0807

Escrivão PC-DF: Definida banca CESPE (CEBRASPE). Eu preciso ter uma pós-graduação?

Escrivão PC-DF: Definida banca CESPE (CEBRASPE). Eu preciso ter uma pós-graduação?

A NOTÍCIA DO DIA 06/11/2019.

Após muita espera, na manhã do dia 06 de novembro de 2019 pudemos ter uma ótima novidade, já que foi publicado o extrato do contrato n. 68/2019, celebrado entre o Governo do Distrito Federal e a CEBRASPE, antiga CESPE, que ficará encarregada de organizar o concurso público, para o provimento de 300 (trezentas) vagas, para o cargo de Escrivão de Polícia da PC-DF.

A novidade, aliás, nem foi a banca, já que a CESPE era esperada e já vinha sendo base de estudos da maior parte dos milhares de candidatos ao cargo, sendo agora oficial.

Vejamos a imagem do extrato:

O CONCURSO PARA ESCRIVÃO DE POLÍCIA DA PC-DF.

No último certame, realizado em 2013 para o provimento de 98 vagas de Escrivão, foram mais de dez mil inscritos. Para o cargo de Agente de Polícia, do qual vamos falar à frente, foram mais de 28 mil inscritos. Acesse o último edital aqui.

Neste e-book não vamos nos dedicar a falar sobre a preparação, para a qual os remetemos ao e-book “12 passos para a aprovação na PC-DF”, produzido pelo Curso Mege, instituição de ensino voltada à preparação de candidatos a cargos jurídicos e das Polícias Judiciárias do país, responsável pela aprovação de mais de 2.500 alunos em diversos cargos, a partir do estudo personalizado. Você pode acessar clicando aqui.

EU PRECISO DE UMA PÓS-GRADUAÇÃO?

A pós-graduação pode sim custar ou garantir seu cargo, como veremos.

Após ter passado por todas as fases do concurso, sendo aprovado na prova objetiva, discursiva ou de redação, teste de aptidão física e exames médicos, além da investigação social, que dura por todo o certame, você terá a fase de títulos, onde serão atribuídos até 5,00 pontos extras a candidatos que comprovem preencher algumas das hipóteses em que isso é possível.

Os cursos de pós-graduação stricto sensu, que são os Mestrado e Doutorado, envolvem projetos de médio prazo e alto investimento, o que faz com que a presença de candidatos que possuem tal titulação seja bastante rara, e rendem 2,00 (dois) e 2,50 (dois e meio) pontos, respectivamente.

Já os cursos de pós-graduação lato sensu, que são as conhecidas “pós”, se relevam bem mais comuns, além de demonstrar alta relevância na prova de títulos, ao ter atribuído 1,50 (um e meio) ponto para quem possua pós-graduação em nível de especialização.

Em seguida, temos a atribuição de 0,50 (meio) ponto para o candidato que tenha frequentado curso de aperfeiçoamento, com carga horária mínima de 120 horas/aula, além de outro 0,50 (meio) ponto àquele que comprove ter obra ou artigo científico publicado, desde que seja de autoria individual, o que pode resultar em mais 1,0 (um) ponto extra.

Cada título só é considerado uma vez, portanto, não adianta apresentar duas pós-graduações, mas poderá apresentar uma pós-graduação e um certificado de participação de curso de aperfeiçoamento, ou ainda, estes e um artigo publicado, rendendo 2,50 (dois e meio) pontos extra.

A classificação final de um concurso pública se dá em razão de décimos. Já tivemos casos de membros de nossa equipe, atualmente Delegado de Polícia no DF, que foi classificado no concurso de 2015 em 51º, sendo que o colega classificado em 50º tinha 0,01 ponto a mais.

Perceberam? Note que o concurso foi para o provimento de 100 vagas, então, não custou o cargo, mas isso se repetiu em relação ao 100º e 101º. No Distrito Federal temos o histórico de nomear todos os aprovados nos concursos da segurança pública, então, no certame dado como exemplo, os 200 aprovados foram nomeados, mesmo tendo sido anunciadas 100 vagas imediatas, mas levou tempo.

O que fica de aprendizado é que o membro de nossa equipe ficou mais 3 (três) meses em casa, aguardando a nomeação, por 0,01 pontos, e não tinha títulos. O mesmo colega ficou esperando por 11 (onze) meses a nomeação, já que ficou em 51º, quando, tendo uma pós-graduação, potencialmente poderia ter sido nomeado já na primeira “leva”. Já o último classificado, embora aprovado, aguardou por quase 3 (três) anos.

Essa realidade prática deixa clara a importância de se ter títulos em um concurso público altamente concorrido. Pode não custar seu cargo, mas certamente irá alongar a espera, já prolongada demais, pela nomeação.

Sabemos que vozes se levantarão no sentido de que estudar para concurso e fazer uma pós-graduação ou curso de aperfeiçoamento é muito difícil, mas se esquecem de que na “pós” você amplia seu raciocínio jurídico, e partindo da premissa de ser na modalidade EaD, potencializa seu rendimento, sendo absolutamente compatível com o estudo em alto nível de produtividade.

A partir de um calendário flexível e ajustável à sua rotina, o estudo à distância elimina perda de tempo com transporte, arrumação e outros inconvenientes. Além de reduzir o investimento em até 80%.

DÁ TEMPO DE FAZER UMA PÓS-GRADUAÇÃO E PONTUAR NO CONCURSO DE ESCRIVÃO DA PC-DF?

Sim, é possível, já que uma pós-graduação pode ser concluída a partir de 6 (seis) meses.

Tendo como parâmetro o último certame, que teve edital publicado em 21/06/2013, com provas de conhecimento aplicadas em 20 de outubro do mesmo ano, e fase de títulos aos 08/04/2014, podemos perceber que tivemos quase um ano de intervalo entre a publicação do edital e a entrega de documentos na fase de títulos.

Assim, considerando que uma pós-graduação lato sensu pode ser finalizada a partir de seis meses, podemos concluir que é possível fazer não somente a pós-graduação, mas também um curso de aperfeiçoamento, e até escrever uma obra ou artigo científico, quem sabe.

Portanto, futuros Escrivães da Polícia Civil do Distrito Federal, aproveitem a oportunidade, e se preparem de maneira estratégica, para a prova objetiva, de redação e de títulos.

O edital é esperado ainda para novembro e todas as fases são importantes e devem ser planificadas desde o início de sua preparação.

Assim, e considerando que o concurseiro é muito atarefado e deve potencializar seu tempo de modo a canalizar energia no lugar certo, sempre recomendamos a opção pela pós-graduação na modalidade EaD, ganhando tempo e economizando em deslocamentos, alimentação e outros insumos.

Em proveito, e concluindo, convidamos a conhecer nossos programas de pós-graduação lato sensu e a realizar a pré-matrícula com um excelente desconto. Clique na imagem abaixo e garanta sua vaga.

Junte-se à nós!

Equipe IEJUR.

E-BOOK SUGERIDO:

Conheçam também os e-books:   “Pós-graduação é considerada prática jurídica?” e “O cargo de Delegado de Polícia exige prática jurídica?”, clicando sobre os títulos.

Para a versão completa deste post baixe o e-book “Escrivão PC-DF: Banca CESPE (CEBRASPE). Eu preciso ter uma pós-graduação?”, clicando aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
1
Olá!
Seja bem-vindo ao IEJUR, como podemos ajudar?